free porn porno izle porno porno escort porno videolar sektoru dunya uzerinde hizla yayilirken internet porno videolarinin kisilere ulastirilmasindaki en temel araclardan bir tanesi degil, en temel arac olarak kullanilmaktadir. Internet uzerinde porn aramalarinin bu kadar fazla oldugunu goren insanlar internette porno izle sektorunde var olma cabalarina girmis ve bu sektorden paralar kazanmaya baslamistir. Internet uzerinden milyonlar kazanmak isteyenler sikiş izleme siteleri acmaktalar. Dunya uzerinde Porno izleme sitelerin gelistigi gibi, ulkemizde de sikis sektorunun gelismesine bagli olarak pornolari gelismektedir ve internet uzerinde aranmaktadir. seks hikayeleri

Curitiba já foi capital do Brasil e é mais antiga do que se imagina

Responda a seguinte pergunta: quais cidades foram capitais do Brasil? Um bom estudante de história responderia Salvador, Rio de Janeiro e Brasília. Mas o que poucos sabem é que Curitiba já foi oficialmente capital brasileira. Esse é somente um dos fatos históricos pouco conhecidos sobre a cidade apontados por dois pesquisadores da história do Paraná.

Responda a seguinte pergunta: quais cidades foram capitais do Brasil? Um bom estudante de história responderia Salvador, Rio de Janeiro e Brasí­lia. Mas o que poucos sabem é que Curitiba já foi oficialmente capital brasileira. Esse é somente um dos fatos históricos pouco conhecidos sobre a cidade apontados por dois pesquisadores da história do Paraná.

Gehad Hajar, membro do Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro do Paraná, é um desses pesquisadores. Ele está realizando a pesquisa “Curitiba: de povoado à capital do Brasil”, que deverá ser lançada em livro no segundo semestre de 2011. A cidade foi capital federal entre 24 e 27 de março de 1969, época em que vigorava a ditadura militar. De acordo com o pesquisador, a mudança foi por uma questão propagandí­stica. “Curitiba era uma das capitais brasileiras que não fizeram oposição ao regime militar. A esposa do presidente Costa e Silva era curitibana e convenceu o presidente a transferir a capital para agregar valor aos polí­ticos daqui que eram favoráveis à ditadura”, conta.

A mudança da capital brasileira para Curitiba havia sido planejada com antecedência e prevista para durar pouco tempo. Na ocasião, houve a transferência do poder executivo ao palácio Iguaçu e das forças armadas e ministérios para outros locais da cidade. “Foram dias festivos no Paraná, o presidente inaugurou diversas obras na cidade e a Ponte da Amizade em Foz do Iguaçu”, diz o pesquisador.

A efetividade da mudança, entretanto, é questionável. O professor do Departamento de História da UFPR Magnus Roberto de Mello Pereira acredita que o fato, na verdade, possui apenas um caráter simbólico. “É como acontece hoje em dia quando um governante visita uma cidade para ganhar apoio”, contesta. Gehad Hajar concorda que as mudanças foram de caráter cí­vico e não administrativo, embora discorde de que o fato não legitime a mudança da capital. “Quando o governo se ‘instala’ em uma cidade, é apenas uma formalidade. Não há instalação de todos os ministérios, das forças armadas, de palácios, de decretos, de solenidades, e toda a comitiva. Em Curitiba foi diferente. Tudo isso foi feito. Curitiba foi de fato capital do paí­s”, enfatiza.

Um outro aspecto que também é pouco conhecido pela população diz respeito à fundação da cidade. “A data oficial de fundação de Curitiba é 29 de março de 1693. A questão é que essa data é da fundação da câmara municipal, e não se funda a cidade no dia da fundação da câmara”, afirma Hajar.

Antes disso, Curitiba teve outros marcos que poderiam ser considerados data de fundação, como a instalação do pelourinho em 4 de novembro de 1668. Em 1654 é datado um mapa da vila de Curitiba, que teria sido fundada oficialmente pelos portugueses em 1648 em um local onde é atualmente o Bairro Alto. Por volta de 1650 já existia às margens do rio Atuba uma capela em homenagem a Nossa Senhora da Luz.

“Não existe data correta, fundação é sempre uma data arbitrária escolhida por alguém, é uma convenção”, afirma o professor Magnus Pereira. Hajar, entretanto, explica que existem algumas regras que caracterizam a fundação de uma cidade. De acordo com o pesquisador, o direito português estabelece a instalação do pelourinho como marco da fundação de uma vila. Uma outra questão descrita por Hajar é que as cidades brasileiras geralmente são fundadas no dia de sua padroeira. “Oito de setembro pode ser a data mais correta, resta saber em qual ano foi”, opina.

Importância histórica

Embora a transferência da capital brasileira para Curitiba tenha sido momentânea e de pouco impacto à administração da cidade, o fato de ela estar alinhada ao regime ditatorial ajudou no seu desenvolvimento. É o que defende Gehad Hajar:”Todos os governadores do Paraná eram simpáticos à ditadura e isso favoreceu o estado e Curitiba como um todo. Grandes obras de urbanização se beneficiaram com o alinhamento ideológico, não se pode apagar isso da história”. O pesquisador também acredita que o fato de Curitiba ter sido capital federal simboliza o crescimento da cidade. “Não importa por qual motivo e quanto tempo durou, o fato é que uma cidade acanhada, uma pequena possessão portuguesa em território espanhol, foi capital do paí­s”, comenta.

A revisão da história dessa “pequena possessão portuguesa em território espanhol” coloca a cidade como sendo de fundamental importância à geografia do Brasil. “Curitiba, na revisão histórica de sua fundação, é uma das primeiras cidades brasileiras em território espanhol, o que contribuiu à revogação do Tratado de Tordesilhas e expansão territorial do paí­s. A data oficial acaba apagando uma importância significativa da cidade”, explica o pesquisador.

Porém, esses e outros fatos ainda são pouco conhecidos pela população de Curitiba, aspecto que Gehad Hajar considera como prejudicial ao desenvolvimento da identidade do estado do Paraná e de sua capital. “Não temos a cultura de conhecer a própria história. Na mí­dia, na educação básica, no vestibular, ela é pouco abordada. A história paranaense acaba ficando apenas em ní­vel acadêmico”, lamenta.


A padroeira de Curitiba

Curitiba comemora seu feriado municipal em 8 de setembro, dia de Nossa Senhora da Luz, padroeira da cidade. Na metade do século XVII, às margens do rio Atuba, já existia uma capela erigida à santa. Conta a lenda que sua imagem amanhecia todos os dias virada para uma região rica em pinheiros. Interpretando o fato como um aviso para desbravar o local, os portugueses armaram-se para lutar contra os í­ndios caingangues que dominavam o espaço. Entretanto, os nativos acolheram os portugueses e cederam a região. A conciliação entre os povos teria ocorrido onde hoje é a praça Tiradentes, na qual se encontra a Catedral Basí­lica Menor de Nossa Senhora da Luz.

Por quatro dias Curitiba foi capital do Brasil

Gehad Haja – Arquivo pessoal

Leave a comment

O seu endereço de email não será publicado

[fbcomments]

Linklerle oynama @ ananı sikeyim Reis oc niye siliyon amın cocugu ananı sikeyim...